quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Pais saudáveis têm filhos saudáveis!





O fato do pai abusar do consumo de alimentos gordurosos pode aumentar o risco de que suas filhas sejam concebidas com maior propensão para a diabete e a obesidade, diz um estudo recente publicado na Revista Nature.
Até agora sabia-se que os pais obesos ou diabéticos têm risco maior de transmitir esses problemas para os filhos, mas esta é a primeira vez que se encontra um indício científico que um fator não genético - a dieta paterna - pode desencadear processo diabético na descendência.
Cientistas da Universidade de Nova Gales do Sul submeteram ratos machos a uma dieta de alto conteúdo de gordura, o que causou problemas de obesidade e tolerancia à glicose, que transmitiram aos descendentes do sexo feminino gerados com fêmeas normais. Os cientistas encontraram, nos filhotes, anomalias nas células beta do pâncreas, encarregadas de produzir insulina, que é o hormônio que controla o nível de açúcar do sangue.
Segundo Margareth Morris, que chefiou o estudo, o risco de desenvolver diabete pode ser similar no caso de filhotes machos, embora o estudo só tenha analisado fêmeas.
Em comentário que acompanha o artigo, o biólogo Michael Skinner, da Universidade de Whashington, considera a descoberta surpreendente, já que normalmente alterações nas células comuns do corpo não afetam as células germinativas - no caso do macho, os espermatozóides - e portanto não teriam como passar para geração seguinte. Skinner especula que a dieta poderia ser um fator ambiental que afeta a expressão dos genes, e não o material genético em si, durante a formação dos espermatozóides.


Portanto, o exemplo de vida saudável e vitalidade positiva começa desde cedo, ou melhor deve ser adquirido desde de sempre!




A alimentação de uma criança é de vital importância, já que este é um período crucial para as fundações dos seus hábitos nutricionais. 
A dieta de uma criança necessita de um planeamento especial - as necessidades de energia e nutrientes fundamentais são elevadas, mas o apetite é reduzido e os hábitos alimentares inconstantes.
Ao contrário do que nossos avós faziam  com os nossos pais, não se deve obrigar as crianças a comer esse ou aquele alimento. Existem muitas formas de incluir refeições aparentemente pouco saborosas no cardápio das crianças. Basta encontrar alternativas que auxiliem no processo de convencimento; substituição de alimentos e algumas “técnicas de disfarce” são muito bem vindas.
A alimentação das crianças deve ser constituída por refeições pequenas, frequentes e ricas em nutrientes essenciais e as quantidades de cada alimento deverão ser estipuladas de acordo com a faixa etária de cada criança:




Esteja atento (a) a introdução alimentar adequada e saudável, priorizando o mais natural possível isento de corantes e conservantes, com uma orientação adequada e pertinente de um nutricionista.



“Alimentar-se de forma adequada é fundamental 
para uma vida saudável.
Manter-se informado é a sua ferramenta para 
escolhas saudáveis.”



Fontes: 
- Livro Crescendo com Saúde, de Maria Luíza de Brito Ctenas e Márcia Regina Vitolo                                                                                     - Nature Magazine, October 2010

4 comentários:

Vivi Martino disse...

Essa matéria é excelente!!

As crianças devem aprender o que se deve ou não comer em casa. A informação tem que partir dos pais.
Quando vejo crianças obesas logo olho na mãe ou no pai que está acompanhando, um deles também está acima do peso....

Acho que infância também envolve balas, sorvete, cachorro-quente, mas nada em exagero....

Karla Christofoletti disse...

Muito obrigada Vivi!
A família é a base e o início da educação e hábitos. Você tem toda a razão em todos os aspectos...nada em excesso é saudável, tudo na vida deve ser feito com moderação, principalmente à alimentação!

Nathalia Pompermayer disse...

Ka, seu blog me inspirou a criar um tb!
Ja estou te seguindo e vou te adicionar como favoritos tb ok???
Bjs

Karla Christofoletti disse...

Oi Naty! Muito obrigada querida!
Vou visitar seu blog também!
Beijos